Minha comunidade
Automação no Instagram

Automação no Instagram: o que você precisa saber para não perder a sua conta

estratégia instagram

Por mais extremo que o título pareça, a automação do Instagram como você conhecia até então, simplesmente será encerrada pelo Facebook.

Teoricamente, já foi encerrada, inclusive com o anúncio feito por eles no dia 4 de Abril.

Obs 1: Todas as mudanças anunciadas neste post, referem-se a ferramentas de terceiros e não a ferramentas nativas do Facebook.

Obs 2: Todas as traduções são traduções livres que eu fiz durante a pesquisa.

Update: 19 de novembro de 2018

Hoje o Instagram divulgou que vai remover interações que tiveram como origem aplicações de terceiros com a intenção de adquirir comentários, likes e seguidores de forma automatizada.

O escopo vai além da “compra de seguidores”. Ou seja, se você utiliza alguma ferramenta de automação para conquistar seguidores, likes, comentários, o Instagram irá remover essas interações daqui para frente.

Já recebi diversos relatos de pessoas que perderam suas contas do Instagram e não há nada que possa ser feito para recuperar.

Quando eu escrevi esta matéria no início do ano, já estava bem claro que as ações seriam duras por parte do Instagram.

Sempre que utilizar uma rede social, procure conhecer e seguir as normas de uso para evitar este tipo de situação.

Referência: Instagram Press.

Atenção:

Ferramentas que não utilizam a API oficial do Instagram, continuam a funcionar normalmente, no entanto, são irregulares de acordo com a política da rede.

“Estou ciente que é possível manter a automação (por hora) utilizando APIs privadas e não autorizadas diretamente pelo Instagram. Por não ser algo oficial e que viola diretamente a política de privacidade e termos de uso da rede, não considero como uma alternativa viável e, muito menos recomendada.

Mesmo assim, algumas APIs privadas também já foram impactadas de forma negativa e deixaram de oferecer suporte após a decisão do Facebook.

Uma outra forma de trabalhar com automação ainda é fazendo web/screen scrapping, o que também é condenado diretamente pelo Facebook e Instagram.

Portanto, será possível continuar com automação? Em alguns casos sim, mas será irregular de acordo com as regras do Facebook e Instagram.

É preciso enfatizar que a automação da forma como existia antes, acabou. Diversas ferramentas já se pronunciaram sobre o assunto e outras estão se adequando. Agora, o que é irregular, não entra no escopo desta matéria.

— Update —

A utilização de AVD (Android Virutal Devices) para simular uma conta do usuário também é algo irregular de acordo com a API do Instagram. Mesmo aplicando camadas de randomização, somados a multiplos proxys, ainda é possível que o Instagram detecte o comportamento irregular e desative a conta, como já vimos acontecendo.“

Abaixo, seguem alguns dos trechos da política de privacidade do Instagram:

  • “Add something unique to the community. Don’t use the Instagram APIs to replicate or attempt to replace the functionality or essential user experiences of Instagram.com or any of Instagram’s apps.”
  • “Respect the limits we’ve placed on Instagram functionality and the way Instagram looks and functions. Don’t offer experiences that change it.”
  • “Only use the POST and DELETE likes, comments, and relationships endpoints to enable businesses to manage communication with people who have expressed interest in them. Don’t use these endpoints for non-business purposes.”

Métodos considerados irregulares pelo Instagram:

. Todo e qualquer método que simule o comportamento através do uso de automações:

Alguns exemplos:

. Web/Screen Scrapping

. Uso de APIs privadas

. Uso de AVD (Android Virtual Devices) para emular o comportamento de um ser humano.

. Uso de automação on screen através de mobile farms, etc.

Você pode clicar aqui para ler toda a política de privacidade e tirar suas próprias conclusões também.

No site voltado para desenvolvedores, a notícia do Instagram pegou muita gente de surpresa:

“Com o objetivo de aprimorar a privacidade e segurança dos usuários, nós estamos acelerando a “inutilização”(depreciação) da API do Instagram,

fazendo com que as mudanças a seguir passem a ser ativas imediatamente.

Nós entendemos que isto pode afetar o seu negócio ou serviço, e nós agradecemos o apoio no processo de manter nossa plataforma segura.

Estes recursos serão desabilitados imediatamente (anteriormente estavam agendados para o dia 31 de Julho de 2018 ou 11 de Dezembro).

O restante será desabilitado de acordo com a timeline que compartilhamos anteriormente.”

Para entender o cenário, é necessário entender um pouquinho de programação.

Vou explicar brevemente e com linguagem não técnica. (Desenvolvedores, não surtem ok?)

O que é uma API e porque isso importa?

Uma API (Interface de Programação de Aplicações) é um conjunto de recursos que permite a integração entre sistemas/aplicativos. As APIs padronizam e facilitam o processo de integração de dados.

No contexto em que estamos, vamos considerar duas APIs do Facebook, uma do Instagram e outra do próprio Facebook.

As APIs possibilitam o desenvolvimento de aplicativos que vão usar a estrutura do Facebook para fornecer maneiras mais eficientes de utilizar a plataforma.

Alguns exemplos específicos para Instagram:

  • Ferramentas de automação para Instagram
  • Ferramentas para Análise e geração de relatórios
  • Ferramentas para avaliar fotos
  • Ferramentas que te avisam quando alguém posta, segue ou deixa de seguir

Como você pode ver, as APIs tem um papel fundamental para um profissional de Marketing Digital.

O que mudou agora?

Temos dois casos, o do Facebook e o do Instagram.

Vamos começar pelo Instagram, porque é o que provavelmente vai impactar a maior quantidade de negócios neste primeiro momento.

Quais recursos serão retirados da API do Instagram?

O Facebook disse “nós estamos acelerando a “inutilização”(depreciação) da API do Instagram”. Mas quais recursos efetivamente vão deixar de existir?

  • Seguir, (des)seguir
  • Comentar automaticamente
  • Dar likes e (des)likes automáticos
  • Seguir a lista de pessoas específicas
  • Seguir a lista de quem segue uma pessoa específica
  • Postar e deletar comentários em conteúdo público (em nome de um usuário)
  • Postar e deletar comentários em seu próprio conteúdo (em nome de um usuário)
  • Ler as informações deu um perfil público e também adquirir suas imagens (em nome de um usuário)
  • Habilidade de receber notificações quando alguém posta

De acordo com o Facebook, todas essas mudanças já estão ativas.

O único recurso da API atual, que será mantido até o início de 2020,  é a possibilidade de ler as informações do perfil de um usuário (seu usuário) e suas publicações.

 

Mas o que isso significa de verdade?

Significa que as ferramentas de automação não podem mais utilizar os recursos listados acima em seu nome. Isso deve impactar a maioria das ferramentas.

Ainda será possível trabalhar com automação, mas não utilizando a API oficial do Facebook.

Neste caso, como não é algo aprovado pelo próprio Facebook, eu recomendo fortemente que você espere um tempo até verificar como toda essa questão se resolverá.

A recomendação imediata e mais segura é pausar as automações que utilizam a API do Facebook.

É bom lembrar que, teoricamente, todas as ferramentas deveriam usar a API oficial do Facebook, mas sabemos que algumas ferramentas utilizam outros métodos para automatizarem os processos. Portanto, procure a sua ferramenta de automação e informe-se com eles.

Você é contra automação?

De forma alguma. Acredito que a automação pode ser uma parte essencial de muitos negócios que tem modelo mais enxuto ou buscam eficiência.

Agora, é fato que profissionais também utilizam automação de forma errada, com o objetivo de adquirir seguidores/likes/interações mesmo que não sejam qualificadas. O que é uma falácia no mercado digital.

As ferramentas têm alguma culpa nisso tudo?

Definitivamente não.

Este é o típico caso onde um escândalo (Cambrdige Analytica), somado a um momento de reflexão sobre a gestão de dados dos usuários (oi GDPR), obrigou o Facebook a tomar uma decisão mais drástica com relação a como terceiros trabalham com os dados dos seus usuários.

Isso pode mudar um dia?

Eu sinceramente acredito que sim.

Após um período de revisitar e amadurecer as políticas de dados e criar novos mecanismos para que não exista abuso na utilização de recursos, podemos ver alguns recursos voltando a vida sim. Mas essa é minha opinião, não existe nada oficial do Facebook ou Instagram a respeito disso.

Mas isso estava nos planos do Facebook já?

Sim, o Facebook já havia anunciado que essas mudanças na API aconteceriam em 31 de julho e outras até o dia 11 de dezembro. Ele simplesmente antecipou algo que já havia sido anunciado antes.

Se você me perguntar, eu acredito que foi um tempo até razoável para diversas ferramentas se adequarem e comunicarem a mudança aos usuários.

Mas esse é um cenário ideal, num mundo ideal.

A realidade dos negócios costuma ser diferente. Então é bem difícil julgar qualquer empresa estando do lado de fora. Eu evito.

Muitas estão correndo, dando o sangue para entregarem o melhor para o usuário e se deparam com a notícia que tem mudar. Não é brincadeira não.

A minha reação foi de ler a mesma notícia várias vezes, chamar a Maria Rita para ler pra mim e confirmar se eu estava entendendo certo. Eu realmente não acreditava que o Facebook seria capaz de tomar uma medida drástica a esse ponto. Mas você vai entender porque isso foi necessário também.

Por que isso aconteceu?

Bom, você já deve ter ouvido falar do escândalo do “vazamento” de dados do Facebook. Se não ouviu ainda, procure sobre Camdridge Analytica e Facebook.

O “vazamento” foi entre aspas, porque na verdade não foi isso o que ocorreu.

O que fato é que em 2013, um pesquisador da Cambridge Analytica Aleeksandr Kogan, criou um aplicativo de testes de personalidade. Mais de 300 mil pessoas instalaram o aplicativo.

Naquela época, a plataforma do Facebook (API) permitia que os dados públicos dos seus amigos fossem compartilhados.

Dessa forma, considere um cenário fictício onde um usuário tem em média 250 amigos. Agora multiplique 300.000 x 250 e pronto, você tem dados de 75 milhões de usuários.

O Facebook identificou essa falha na plataforma e fez uma alteração em 2014 com objetivo de evitar este tipo de abuso. E após essa atualização, aplicativos como o de Kogan, não funcionariam mais no Facebook da forma como era antes.

No ano de 2015, o Facebook descobriu que Aleeksandr Kogan havia compartilhado os dados dos usuários com a Cambridge Analytica. Mesmo naquela época, isso já feria a política de privacidade da plataforma.

O Facebook desabilitou o aplicativo do Kogan e solicitou a ele juntamente com a Cambridge Analytica que apagassem todos os dados de usuários que haviam obtido. E eles forneceram provas de que haviam feito isso.

Agora no início de 2018, o Facebook foi avisado novamente pelo The Guardian, New York Times e Channel 4, que a Cambridge Analytica poderia não ter se livrado dos dados conforme foi prometido (inclusive com o envio de provas).

Como resultado, a Cambridge Analytica foi banida de todos os serviços do Facebook. Mesmo assim, a empresa afirma que todos os dados foram sim apagados e concordaram em passar por uma auditoria feita por uma empresa terceirizada.

Abaixo você pode ver a quantidade de perfis que foram impactados:

Obs: para contexto, existem aproximadamente 120 milhões de brasileiros ativos mensalmente no Facebook. Portando, aproximadamente 0,4% dos brasileiros conectados foram impactados.

Mas e aí, o que o Facebook fez a respeito?

Bom, o Facebook anunciou 3 mudanças principais agora, em março de 2018. As mudanças foram comunicadas diretamente por Mark Zuckerberg.

  1. Nós vamos investigar todos os aplicativos que tiveram acesso a uma grande quantidade de dados antes da mudança na plataforma do Facebook em 2014. Vamos conduzir uma uma auditoria completa para identificar qualquer tipo de atividade suspeita. Se algum desenvolvedor não concordar com a auditoria, será banido da plataforma. E se encontramos alguma irregularidade nos aplicativos auditados, o aplicativo será banido e todos os usuários impactados serão avisados. Isso já inclusive as milhões de pessoas impactadas pelo uso incorreto de dados do Kogan/Cambridge.
  2. Nós vamos restringir o acesso aos dados por parte dos desenvolvedores para prevenir outros tipos de abuso. Por exemplo, nós vamos remover o acesso dos desenvolvedores a dados de usuários que não utilizam um aplicativo há mais de 3 meses. Nós vamos reduzir a quantidade de dados que você cede para um aplicativo para fazer um login para somente: seu nome, foto do perfil e email. Nós vamos exigir dos desenvolvedores não só que sejam aprovados pelo Facebook, mas que também assinem um contrato para que então possam pedir aos usuários acesso a seus posts e dados privados.
  3. Nós queremos garantir que você entenda que tipo de informações você cedeu para cada aplicativo. A partir de Abril, nós vamos mostrar a todos uma ferramenta no topo do news feed que exibe todos os apps que estão utilizando suas informações e como facilmente retirar este acesso. Nós já temos uma ferramenta para isso nas configurações de privacidade, mas também vamos adicioná-la ao topo do news feed para garantir que todos vejam.

O Facebook ainda diz que novas mudanças devem chegar durante os próximos meses.

Mas fica claro pra mim (e acredito que para todos) o quanto o Facebook levou a sério toda a questão do tratamento de dados.

É bom notar, que isso é algo sem precedentes na história da Internet. Nenhuma outra rede jamais tomou ações tão agressivas com relação a proteção dos dados.

Hoje, o Facebook levanta a régua da segurança digital e, acredito que outros players devem seguir a mesma linha em breve. Afinal de contas, o Facebook não é o único que possui dados e uma API aberta.

 

O impacto no cenário político

Uma das maiores preocupações é justamente a questão das eleições. O ano de 2018 é importante não só para o Brasil, mas também para Estados Unidos, México, Paquistão entre outros.

De acordo com Mark Zuckerberg, a forma como os são dados tratados e divulgados, incluindo anúncios, são de alta importância para o Facebook.

Tendo isso em mente, algumas mudanças já foram anunciadas. Algumas dessas mudanças entrarão em vigor primeiro no Estados Unidos e posteriormente no resto do mundo.

  • Para anunciar para políticos, a página terá que ser verificada pelo Facebook com um documento de identidade e comprovante de residência.
  • Anunciantes terão que mostrar quem pagou pelos anúncios (ainda não está claro como isso será feito pra mim, aparentemente será um rótulo atrelado ao anúncio, parecido com o que temos com branded content hoje.)
  • Qualquer pessoa poderá ver os anúncios que uma página está vinculando.
  • Páginas grandes (em volume) obrigatoriamente serão verificadas pelo Facebook.
  • Milhares de pessoas serão contratadas para isso reforçar a equipe de verificação do Facebook, hoje são 15mil pessoas e até o final de 2018 serão 20mil.

Considerando as novas regras, é bem evidente que teremos uma transparência superior

Um dos pontos mais importantes pra mim é a verificação obrigatória de páginas que são grandes. Apesar do Facebook não ter especificado a partir de qual número vai passar a exigir a verificação, é algo de extremo valor já que, algumas páginas crescem rápido e são responsáveis por disseminar notícias falsas.

Outro ponto forte no processo de transparência é saber se um político financiou um influenciador ou um portal. Isso definitivamente vai mudar o jogo.

O que mudou no Facebook?

O Facebook acaba sendo menos impactado pelas mudanças, justamente porque tem uma API mais madura do que a do Instagram, que é consideravelmente mais nova.

No entanto, alguns recursos, especialmente com relação a monitoramento, foram alterados e precisamos ficar atentos.

Um número considerável de apps e ferramentas também deve ser impactado.

Lembrando mais uma vez, isso só é válido para aplicativos de terceiro e não para os aplicativos nativos do próprio Facebook.

  • Os fluxos de informação de Grupos, eventos e buscas de página não irão mais exibir informações de usuários identificáveis como: usuário e foto do perfil.
    Algumas ferramentas poderiam fazer buscas para atrelar o perfil ao resultado da buscas e assim categorizar o comportamento daquele público.
  • Impossibilidade de acompanhar o fluxo de Páginas que você não tem o acesso apropriado.
    Anteriormente, era possível monitorar os comentários de concorrentes em tempo real por exemplo.
  • Restrição nas informações de Eventos e Grupos.
    Anteriormente, era possível extrair a lista de convidados de cada evento e também ler o conteúdo de posts na timeline de eventos.
    Com esta atualização, isso deixa de ser possível.
  • Não será possível trocar mensagens privadas utilizando os aplicativos de terceiros (aparentemente isso só é válido para novas páginas, as antigas, já conectadas nas ferramentas, estarão ok.). Isso impacta diretamente o fluxo de atendimento de ferramentas de Gestão onde tickets são categorizados e repassados para outros atendentes por exemplo.
  • Mencionar Páginas e Usuários não será mais permitido.
  • Não será mais possível taguear um conteúdo referente a Branded Content.

Lembrando mais uma vez, a limitação dos recursos acontece somente em aplicativos fora do Facebook, ou seja, de terceiros e que utilizam sua API de forma regular.

Eu sou uma empresa, minha agência disse que não pode mais usar automação no Instagram, é verdade?

Sim, não só é verdade como será praticamente impossível fazer de forma legal, sem ferir nenhuma regra do Facebook. (Deixo com o ar de exceção porque realmente não tenho condições de avaliar todas as opções de automação).

Se a sua agência ou freelancer comunicou isso prontamente para você, fique feliz, eles estão cuidando da sua propriedade digital com carinho.

Faça um bom trabalho e tenha paciência, os resultados virão. Não adianta trabalhar cobrando like da agência, foque nos resultados e na construção da sua marca.

Essa mentalidade de “quero mais likes” simplesmente pelo fato de exibir o número tem que acabar, e isso começa com muitas empresas parando de exigir somente esse tipo de resultado das agências/freelancers.

Resumindo, deixe sua agência/freelancer trabalhar de forma que seja orientado a resultado.

Os números são importantes? Sim! Com certeza. Mas números inflados e falsos não tem serventia alguma. E isso também não quer dizer que todas as automações só trazem isso, era possível ter ótimos resultados com automações bem feitas.

Hoje, por uma questão de limitação do próprio Facebook, não será mais possível como era antes.

De você que é empresa, agências e profissionais do Marketing Digital esperam o mínimo de compreensão.

Eu sou uma agência, qual é o foco agora?

A boa notícia é que existem duas versões da API do Instagram. A primeira foi desativada, mas você tem a versão nova que conta com alguns recursos bem interessantes.

Um detalhe importante, é que você precisa ter uma conta de negócios, tá ok? Então, se a conta do seu cliente é de pessoa física, não caia no conto de que se mudar para conta de empresa o alcance vai cair. O perfil vai se comportar diferente, mas você precisa se adequar.

Mas vamos a parte boa, quais os novos recursos?

  • Agendamento de Posts continua funcionando perfeitamente bem.
  • É possível descobrir e ler as informações de perfil (e posts) de outros perfis de negócio.
  • Menções: leia menções públicas onde um negócio foi citado ou marcado com @. Publicar comentários como página de negócio em um post onde o negócio foi marcado ou mencionado.
  • Insights: Ajudar os negócios a entenderem e analisarem métricas valiosas sobre o seu perfil no Instagram.
    Isso vai possibilitar com que compreendam e otimizem a performance do seu conteúdo orgânico no Instagram.
  • Moderação de comentários: analisar comentários em massa.
    Isso possibilitará que negócios interajam de forma mais eficiente com a sua audiência através de comentários nos seus posts do Instagram.
  • No futuro, início de 2019, alguns desses recursos estarão disponíveis também para pessoas físicas.

O resumo é: mais foco na análise e interações que você conquistou, menos foco nos números e interações externas.

 

O que Mark Zuckerberg disse a respeito?

Eu separei aqui algumas das principais frases do Mark Zuckerberg. Algumas do seu próprio perfil e outras de entrevistas que ele concedeu a respeito de toda a situação com a Cambridge Analytica.

Por favor, leve em consideração o contexto acima e não use as citações fora dele, caso contrário você estará levando outras pessoas a interpretarem erroneamente algumas citações.

“Eu iniciei o Facebook e, no final do dia, eu sou responsável pelo que acontece em nossa plataforma.”

“A boa notícia é que as ações mais importantes para prevenir que isso (o abuso de dados) aconteça hoje, já foram tomadas anos atrás.”

“Nós não fizemos o suficiente para prevenir o abuso da plataforma. Nós tivemos uma visão menos abrangente do que deveríamos e isso foi um erro, o meu erro.”

“Nós temos que revisar todas as partes do nosso relacionamento com as pessoas e ter certeza de que estamos tendo uma visão ampla o suficiente a respeito da nossa responsabilidade.”

“Não é o suficiente conectar pessoas, nós temos que garantir que as conexões sejam positivas e tenham o propósito de unir-las.”

“Não é o suficiente dar voz às pessoas, nós temos que garantir que essa voz não é utilizada para ferir as pessoas ou espalhar informações falsas.”

“Não é o suficiente oferecer ferramentas, nós temos que garantir que os desenvolvedores também protejam a privacidade das pessoas.”

“Não é o suficiente ter regras para proteger as informações, não é o suficiente acreditar quando as empresas nos dizem que estão protegendo as informações, nós temos que garantir que todos no nosso ecossistema protejam as pessoas e suas informações.”

“Nós estamos ampliando a visão da nossa responsabilidade.”

Se você me perguntar, fica bem claro que o Facebook, através da figura Mark Zuckerberg assume toda a responsabilidade e já implementou diversas medidas evitando que os mesmos erros se repitam no futuro. Esse é um dos principais motivos pelo qual eu respeito profundamente o Facebook.

No texto, procurei deixar claro o que é a minha opinião e o que é um fato relatado pelo Facebook, se tiver alguma dúvida, pergunte e ajude a não espalhar a desinformação.

Fontes utilizadas no post:

https://help.hootsuite.com/hc/en-us/articles/360002742853

https://developers.facebook.com/docs/graph-api/changelog/

https://www.instagram.com/developer/changelog/

https://developers.facebook.com/products/instagram/

https://business.instagram.com/blog/instagram-api-features-updates/

https://developers.facebook.com/blog/post/2018/01/30/instagram-graph-api-updates/

https://developers.facebook.com/docs/graph-api/overview

https://developers.facebook.com/blog/post/2018/01/30/instagram-graph-api-updates/

Mais referências

Caso alguém ainda tenha alguma dúvida da seriedade do assunto e da veracidade, vou acrescentar mais links para sua própria pesquisa. Para quem é desenvolvedor, existem links específicos, inclusive um link do Reddit onde estão comentando quais ferramentas já deixaram de funcionar apropriadamente.

Imprensa especializada

  • https://techcrunch.com/2018/04/04/facebook-instagram-api-shut-down/https://techcrunch.com/2018/04/02/instagram-api-limit/
  • https://www.cnet.com/news/instagram-dont-use-insta-gram-or-ig-in-your-app-name/
  • https://techcrunch.com/2015/11/17/just-instagram/
  • https://www.cbsnews.com/news/facebook-shuts-down-drug-hashtags-instagram-2018-04-07/
  • http://www.businessinsider.com/instagram-barely-gave-developers-notice-about-api-data-sharing-changes-2018-4
  • https://www.macrumors.com/2018/04/04/instagram-disables-third-party-app-apis/
  • https://9to5mac.com/2018/04/03/instagram-api-limits/
  • https://www.theregister.co.uk/2018/04/06/facebook_shoots_itself_in_the_api/
  • https://www.searchenginejournal.com/third-party-instagram-apps-broken-company-reportedly-limits-api-access/247209/
  • https://news.ycombinator.com/item?id=16758311

Imprensa / Forums especializados em desenvolvimento

  • https://stackoverflow.com/questions/49583489/did-instagram-change-api-rate-limits-on-mar-30-2018
  • https://www.programmableweb.com/news/instagram-has-effectively-killed-its-public-api/brief/2018/04/04
  • https://www.programmableweb.com/news/wake-cambridge-analytica-crisis-facebook-pares-down-instagram-functionality-without-warning/analysis/2018/04/05
  • https://stackoverflow.com/questions/49650813/instagram-api-how-to-obtain-an-access-token/49652060#49652060
  • https://stackoverflow.com/questions/49661515/sorry-an-error-occurs-from-instagram-api-this-endpoint-has-been-retired
  • https://www.reddit.com/r/Instagram/comments/89ux3z/which_instagram_apps_just_broke/

No dia 06 de Abril eu fiz uma live (em tom extremamente informal) a respeito do conteúdo desta matéria. Caso tenha interesse em assistir:

 

Quer dicas diárias de Estratégia Digital? Siga no Instagram

Seguir no Instagram

Receba ferramentas e insights via email

Faça parte da minha newsletter gratuita e receba dicas exclusivas, meus cursos e insights.

Eu também oideio SPAM e o seu email nunca será repassado para terceiros.